Skip to content

PSDB e a política de extermínio das minorias

24 de Janeiro de 2012
tags:

Vereador do PSDB acusado de assassinar índios no Mato Grosso do Sul, Prefeito do PSDB acusado de matar 4 pessoas entre elas, uma grávida e uma criança em São José dos Campos (nada confirmado até agora, pois denúncias são dos moradores do Pinheirinho), aumento substâncial de "bandidos" mortos em confronto com a polícia no Estado de São Paulo governado pelo PSDB.

Coincidência? Não. Essa é a política do PSDB: a política de extermínio do povo, porque eles gostam mesmo é da "massa cheirosa".

Portanto, na próxima eleição NÃO vote em políticos do PSDB, pois suas mãos estarão manchadas de sangue.

mao-com-sangue

 

Políticos e ruralistas acusados de assassinar índios no MS
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/politicos-e-ruralistas-acusados-de-assassinar-indios-no-ms

Enviado por luisnassif, ter, 24/01/2012 – 08:44

Por Jair Fonseca

Deu na Folha de S. Paulo: vereador do PSDB e presidente do sindicato ruralista, mais outro político-empresário de Paranhos são acusados pelo assassinato de dois professores índígenas, num ataque de seus jagunços a uma comunidade guarani-caiuá, alvo de genocídio no Mato Grosso do Sul.

Da Folha.com

Justiça aceita denúncias por morte de índios no MS

A Justiça Federal em Ponta Porã (MS) aceitou denúncia contra seis pessoas –entre elas dois políticos locais— acusados de matar os professores indígenas Jenivaldo Vera e Rolindo Vera em outubro de 2009 no município de Paranhos (extremo sul do Estado).

Segundo o Ministério Público Federal, os índios desapareceram durante a desocupação da fazenda São Luís. Eles estavam com um grupo de índios guarani-caiuá que reivindicava a área como de ocupação tradicional da comunidade Ypo’i.

Vários homens armados chegaram em caminhões e caminhonetes para expulsá-los da propriedade na época.

Testemunhas disseram que os dois professores foram mortos a tiros e levados do local. O corpo de Jenivaldo foi encontrado em novembro de 2009, no rio Ypo’i, próximo da área de conflito.

De acordo com a Procuradoria, a perícia comprovou que a morte foi causada por um tiro nas costas. Rolindo Vera nunca foi encontrado.

 

PSDB

Entre os acusados estão o vereador e presidente do sindicato Rural de Paranhos, Moacir João Macedo (PSDB), e o empresário Joanelse Tavares Pinheiro, que foi candidato a prefeito da cidade em 2004.

Os demais acusados são produtores rurais e comerciantes.

Os seis réus irão responder por homicídio qualificado, ocultação de cadáveres, disparo de arma de fogo e lesão corporal contra o idoso.

A Procuradoria protocolou a ação em dezembro de 2009 e a denúncia foi acatada no dia 9 de dezembro do ano passado, na 1ª Vara Criminal da Justiça Federal em Ponta Porã.

OUTRO LADO

O vereador Moacir João Macedo disse à Folha que não sabia que havia sido denunciado pela Procuradoria.

Ele disse que foi chamado apenas uma vez para prestar depoimento sobre o caso, na Polícia Federal em Naviraí, e, na ocasião, negou qualquer envolvimento no desaparecimento dos professores.

Joanelse Tavares Pinheiro também disse que não sabia da decisão da Justiça Federal. Pinheiro foi interrogado pela PF em 2009 e disse que participava de uma corrida de cavalos no dia do conflito.

Os outros réus não foram localizados para comentar a denúncia.

Denúncia de mortes no Pinheiro no Blog do Tsavkko – The Angry Brazilian

http://www.tsavkko.com.br/2012/01/massacre-do-pinheirinhos-fotos-e-videos.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

Massacre do Pinheirinhos – Fotos e vídeos de uma tragédia

Começamos a gravar, a conversar com as pessoas, a tentar entender o que havia acontecido e o que nos esperava. Tentamos apurar o número de mortos. Uns falavam em 7, outros em 3, dentre eles uma grávida e, no fim, não conseguimos chegar a nenhuma conclusão. Muitas pessoas, ensanguentadas, foram levadas até desacordadas aos hospitais, mas não pudemos confirmar se haviam sobrevivido aos ferimentos ou não. No fim do dia, com bombas estourando, a informação de que uma criança de três anos teria morrido pelo efeito do gás lacrimogêneo. Mas também não pudemos confirmar.

Geraldo Alckmin

Foto AE

No Estado de S. Paulo a denúncia: Mortes da Rota na mira da Ouvidoria da PM de São Paulo

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,mortes-da-rota-na-mira-da-ouvidoria-da-pm-de-sao-paulo,804647,0.htm

A Rota, tropa de elite da Polícia Militar, está na mira da Ouvidoria da Polícia. O aumento no número de mortos em confrontos envolvendo integrantes das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar – 63% em cinco anos – despertou a atenção do ouvidor Luiz Gonzaga Dantas, que promete acompanhar de perto a atuação do 1.º Batalhão de Policiamento de Choque. Entre segunda-feira e ontem, foram mais duas mortes. Em uma delas, a família diz que houve execução.

2 comentários leave one →
  1. 24 de Janeiro de 2012 16:30

    Tem muitas coisas pra dizer com essa justiça… Porque tanto violência assim ? Os indigenas sao um povo pacifico que faz integrante do Brasil. Fico choqueado com essa atitude de preconceito e falta de respeito pelo essa menoridade indigenas.

  2. 24 de Janeiro de 2012 16:32

    Isto nao da imagem boa e valorizada pelo o pais do Brasil.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: