Skip to content

Crime é crime: o que muda é o meio

11 de Janeiro de 2011

Os crimes “digitais” são os mesmos que ocorrem na “vida real” o que muda é o meio (internet). Na minha opinião, não há necessidade de uma lei específica, pode-se aperfeiçoar as que já existem no mundo real e criar novas que falem para os dois ambientes, mas não é por conta da internet que temos que criar leis, e sim criar leis para a comunidade em geral independente da onde o crime ocorre.

O que realmente precisa é termos mais delegacias e profissionais treinados para coibir e punir os crimes que acontecem no ambiente virtual. Hoje temos tecnologia o suficiente para identificar esses criminosos, a questão é mais treinamento da polícia e melhor utilização dessas tecnologias.

Também não concordo com a tese que se acabarmos com os perfis falsos haverá diminuição da criminalidade, pois no “mundo real” isso não ocorre, sempre há quem compre e venda documentos falsos ou que utilize das documentações de outras pessoas para abrir contas, emitir cheques e até abrir empresas. (Basta comprar um CD na Santa Efigênia). Outra coisa que gostaria de deixar claro: quanto mais pessoas têm acesso a internet, mais crimes vão ser cometidos, não quer dizer que a porcentagem de criminosos aumentou, quer dizer que é tudo proporcional.

Esses dias ví o PIG fazendo exatamente a mesma comparação: dizia o repórter “Aumenta o número de reclamações contra os sites de Ecommerce”, OK aumentou. Porque aumentou? Aumentou porque mais gente comprou na internet e isso é proporcional, não necessáriamente a porcentagem de problemas aumentaram. Sempre haverá uma parcela da população que é criminosa e vai se utilizar de qualquer meio para cometer crimes.

Por exemplo, todos aqui de Sampa sabemos que existem grupos neonazistas, não quer dizer que com a internet vai haver aumento do número de pessoas desses grupos, pois quem é criminoso é criminoso na internet e fora dela. Outro exemplo: qual o risco de seus cartão de crédito ser clonado? No “mundo real” pode acontecer a qualquer momento, em um posto de gasolina, loja ou mesmo no caixa eletrônico. O risco aumenta na internet? Não aumenta, é exatamente igual. O que você faz então, para de comprar online e só usa dinheiro no “mundo real”?

Outra coisa, casos de pedofilia, por exemplo, sempre existiram, mas eram pouco divulgados, se você perguntar para os mais velhos, nossos avós, com toda certeza eles vão dizer que esses casos também aconteciam no passado e que era tudo escondido, não havia uma divulgação,poucas pessoas ficavam sabendo, mas hoje é muito mais fácil descobrir esses criminosos, que com toda certeza, infelizmente vão continuar praticando seus crimes, seja no interior de Pernambuco onde a internet talvez ainda não tenha tanta força, como nas capitais, seja no “mundo virtual” ou “real”. Sempre haverá uma forma de “burlar” a lei, mas é importante combater o crime em qualquer meio que ele ocorra e que nesse caso se tenha uma polícia mais preparada e que faça uso da tecnologia para localizar e punir os responsáveis. Pois não existe anonimato total da internet, você deixa rastro e pode ser localizado usando a tecnologia, inclusive a polícia federal já está usando a tecnologia para prender pedófilos no Brasil inteiro e combater outros crimes no meio digital. O que precisa é aperfeiçoar e treinar esses policiais para combater o crime na rede.

Em relação a regulamentação da mídia, é um assunto e discussão totalmente diferente dessa. Vamos por partes:
1) A internet é livre, qualquer um pode se expressar e como cidadão também precisa responder pelos seus atos baseado nas leis vigentes. Nesse caso um indivíduo ou empresa que comenta algum crime na internet pode e deve ser punido conforme a lei. O que acredito que a internet tem como sua melhor defesa, é que é um espaço onde todos podem ter acesso, com a mais ampla democracia, todos podem ter blogs, twitter, seu site de ecommerce etc. Por conta disso, podemos ter várias correntes de pensamentos na internet, temos blogueiros regionais que falam da cultura do seu estado, ou até de bairros, isso é muito bom, pois o espaço é livre para que as pessoas possam se manifestar e mostrar cada canto do Brasil, nada impede que uma tribo indígina crie um blog e compartilhe sua cultura com outras pessoas. Na internet tem espaço para todos.

2) No caso regulamentação da comunicação (TVs, rádios etc) não funciona assim, embora seja um espaço público e para utilidade pública um cara para ter uma concessão de TV ou rádio precisa ter muito dinheiro e influência, pois essas concessões são feitas pelo governo. E é justamente por ser um concessão pública que esses meios de comunicação deveriam servir a população e não aos seus interesses de empresas. Outra coisa, isso acaba não sendo democrático, pois como essas concessões ficam nas mãos de poucos grupos empresariais e políticos(e seus interesses), a maioria da população não é agraciada e nem contemplada com informações das suas regiões, culturas e tradições. Então o quê hoje passa nas TVs e Rádios se torna totalmente excludente, pois não atende aos interesses da maioria da população. O que não é nada democrático. Mesmo porque com a tecnologia digital temos a oportunidade de ter muito mais rádios e tvs do que temos hoje e assim teremos uma programação mais diversificada.

Por isso penso que temos que ter um pouco de cautela em relação a esse tema, pois na minha opinião crime é crime, o que muda é o meio aonde ele ocorre. Porque o feitiço pode virar contra o feiticeiro. Tem muito interesse em jogo nessa questão de regulamentação e leis para a internet, e temo que esses interesses não atendam a população e sim interesses de algumas organizações (políticos e empresas).

2 comentários leave one →
  1. 18 de Fevereiro de 2011 21:30

    Sra Presidenta, se a Senhora tiver acesso a esse blog, peço com muito carinho que a Senhora valorize a palavra que foram ditas nas eleiçôes, em dar um voto de confiançã para a segurança pública,.
    Falo em nome da familia dos PMS e BMS, aprove a PEC 300
    Para que a o militar tenha uma vida dgina, de ser vivida.
    Meu esposo tinha um sonho, em ver a Pec 300 ser aprovada, ele conseguiu ver a votação em primeiro turno.
    Mas DEUS o levou para morar com ele, e junto com ele a votação final da pec 300.
    Ele só queria dar uma vida melhor para a familia, pois nossa vida sempre foi regada, apertando daqui e dali, para criar nossos 3 filhos.
    Não podia dar uma faculdade a eles, não podia dar nem um pouco de luxo, só podia dar oque o salário nos permitia. só o necessário.
    Que muitas vezes, faltava, até o leite e o pão.
    Pois o salário nunca foi suficiente, vivia no quartel e nas horas de folga em bicos de segurança, infelizmente ele não pode ver os filhos crescerem.
    pois não tinha tempo, de curtir se quer um dia, com a familia.
    Mesmo assim ele foi condecorado com várias medalhas de herói.
    Mas medalhas não colocam comida na mesa, e nem roupas no guarda roupa.
    Então Senhora, peço que olhe por nós FAMILIA MILITAR, que estamos rogando a compaixão da Senhora, para votar a nossa tão sonhada, PEC 300, QUE DEUS ILUMINE A SENHORA, QUE REINE COM A RAZÃO E O CORAÇÃO.

  2. 18 de Fevereiro de 2011 21:34

    PEC 300, SONHO, PARA SER SONHADO E JAMAIS ENGAVETADO
    PEC 300, SONHO, E NÃO PESADELO
    PEC 300, EU ACREDITO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: