Skip to content

Ato contra golpismo da mídia abarrota Sindicato dos Jornalistas

24 de Setembro de 2010

Fonte:http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=8&id_noticia=137759

“Este é um ato singelo”. Riso generalizado. Com esta modéstia e muito bom humor Altamiro Borges abriu o ato contra o golpismo midiático, que não coube no auditório, no corredor e quase não coube até mesmo nas escadarias do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. O abarrotado protesto foi organizado pelo Centro Barão de Itararé na noite desta quinta-feira (23). Como assertou o presidente do Sindicato, José Augusto de Oliveira Camargo (Guto), “o desconforto é a prova do sucesso deste ato”.

Luana Bonone 

A irreverência foi a principal arma contra o golpismo midiático no ato desta quinta-feira (23)

A presença do SBT, do Estadão e de outros veículos da chamada grande mídia – ou “velha mídia”, como definido pelo representante do Movimento dos Sem Mídia Eduardo Guimarães – não intimidou a mesa do ato, composta por entidades de luta pela democratização da mídia, representantes dos movimentos sociais e de partidos de esquerda. Miro fez questão, inclusive, de agradecer a mobilização proporcionada pela velha mídia, referindo-se aos ataques à atividade veiculados nesta semana. “Mobilização pelo repúdio”, completou o presidente do Barão, que em seguida leu o documento intitulado “Pela ampla liberdade de expressão”.

Foto: Luana Bonone

Miro leu o documento "Pela ampla liberdade de expressão" rodeado por representantes de diversos movimentos sociais

O documento inicia com respostas a manchetes desta semana: “Após ataques de Lula, MST e centrais sindicais se juntam contra a imprensa” (O Globo); “Oposição critica ato contra a mídia apoiado pelo PT” (Estadão); “Entidades fazem ato contra a imprensa em São Paulo” (Folha), entre outras. Após valorizar a realização do ato no auditório denominado Vladmir Herzog, o documento contra-ataca: “esta visão autoritária, contrária aos próprios princípios liberais, fica explícita quando se tenta desqualificar a participação no ato das centrais sindicais e dos movimentos sociais, acusando-os de serem ‘ligados ao governo’. Ou será que alguns estão com saudades dos tempos da ditadura, quando os lutadores sociais eram perseguidos e proibidos de se manifestar?”.
A visão do secretário de comunicação do PCdoB, José Reinaldo Carvalho, presente ao ato, não é diferente: “a mídia, como expressão no plano da política, da ideologia e da comunicação social das classes dominantes do Brasil, pretende pautar o debate político, pautar a campanha eleitoral, definir os temas e adiantar vereditos sobre o que é certo e o que é errado, sobre o que é justo e o que é injusto, verdadeiro e falso. Isso significa que a mídia quer exercer uma ditadura sobre as consciências, castrando o direito à informação. Portanto, é necessário e justo que os movimentos sociais se rebelem contra isso, em nome da verdadeira democracia e da verdadeira liberdade de expressão”, declarou. Para ele, no ato desta quinta-feira “os quadros da esquerda e dos movimentos sociais expressaram a posição de não aceitar o ditame da grande imprensa, da velha imprensa”.
Propostas provocativas ou provocações propositivas?
A primeira parte da carta lida por Miro é finalizada com a defesa da liberdade de expressão e em seguida são apresentadas cinco propostas, dentre as quais a solicitação de abertura dos contratos e contas de publicidade de veículos da Editora Abril, dos grupos Estadão e Folha e das organizações Globo. O pedido é direcionado à vice-procuradora regional eleitoral, Dra. Sandra Cureau, “a exemplo do que fez recentemente com a revista Carta Capital”. Segundo o documento, “é urgente uma operação ‘ficha limpa’ na mídia brasileira”.

Foto: Luana Bonone

Guto fez questão de assinar sozinho a crata que leu no ato por entender que "as pessoas precisam assumir suas posições", em clara provocação aos grandes empresários da mídia

Depois foi a vez do presidente do Sindicato dos Jornalistas ler a nota “Em defesa dos jornalistas, da ética e do direito à informação”, que esclarece o apoio do sindicato ao ato e é assinada por ele. Segundo Guto, a nota se fez necessária porque a divulgação de que se tratava de um ato “contra a imprensa” fez com que o sindicato recebesse inúmeras ligações questionando sua postura.
Sob gritos como "Serra é Frias!", vindos da muvuca que se acomodava no pequeno auditório, falaram no ato, ainda, o vice-presidente da CGTB, Ubiraci Dantas (Bira), representando o movimento sindical (estiveram no ato, ainda, CTB, Nova Central, Força Sindical e CUT); o presidente da Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom), Joaquim Palhares; o representante do MST, Gilmar Mauro, e o do Movimento dos Sem Mídia, Eduardo Guimarães; além dos representantes de partidos: o jornalista Osvaldo Maneschy (PDT) – que fez uma respeitável referência ao histórico dirigente do partido Leonel Brizola –, a deputada federal Luiza Erundina (PSB) e o presidente do PCdoB, Renato Rabelo. A UNE também foi citada como apoiadora do ato.

Foto: Luana Bonone

De forma inesperada e emocionante, os manifestantes puxaram espontaneamente o Hino Nacional ao fim do ato

Se falam bem, estamos mal
Gilmar Mauro zombou da velha mídia ao dizer que estava se divertindo, e explicou: “em que pesem os ataques, o povo ta se lixando”. Ao dizer que o MST assina embaixo do documento lido por Miro, Gilmar disse ainda que "quando começarem a falar bem de nós, é porque estamos errados", e deixou um recado: “o próximo governo tem que investir na democratização da mídia”.
Já Eduardo Guimarães disse sentir “vergonha alheia” pelo comportamento da velha mídia: “essa gente é risível, dizendo que nós queremos censurar impérios de comunicação que faturam bilhões…! Tenham noção do ridículo”. E finalizou com uma provocação: “será que os leitores dessa velha mídia não perguntam ‘o que pensam esses bichos-papões?’”. E completou “no dia 3 nós vamos responder”, referindo-se às eleições.

Foto: Luana Bonone

Renato Rabelo homenageou Guto Camargo com a seguinte frase: "a gente faz história com coragem e determinação"

Quem tem história, tem autoridade
Para Renato Rabelo, o ato foi “emblemático”. Após dizer que a mídia vem radicalizando a luta política no país, Renato afirmou que “o PCdoB tem autoridade para dizer que nós somos os defensores da liberdade de expressão, não eles. Na Ditadura Militar, de que lado eles ficaram?”. Em seguida, fez troça do discurso utilizado por alguns veículos do “autoritarismo” do presidente Lula, assegurando: “não tem país no mundo que tem essa liberdade de imprensa que tem o Brasil”. Para Renato, a velha mídia vai além do golpismo, “é conspiração”.
A última a falar foi também a mais aplaudida. Reconhecida pela sua luta em defesa da democratização da comunicação, Luiza Erundina fez referência à 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) e disparou: “sabe por que eles estão bravos? Porque deu certo o primeiro presidente operário… Sabe por que a reação irada? Porque vamos eleger a primeira mulher presidente, e no primeiro turno!”. A fala final de Erundina resume um pouco do sentimento do ato: “Não venham nos dar lição sobre democracia, nós pagamos muito caro por esta democracia que temos”.
Na avaliação de José Reinaldo, o ato foi “magnífico” e “consolidou a Barão de Itararé e suas entidades coligadas como parte constitutiva do movimento social brasileiro, portador da bandeira contra o terrorismo midiático e pela verdadeira liberdade de expressão”.
De São Paulo, Luana Bonone

One Comment leave one →
  1. Nadir Cardoizo dos Santos permalink
    24 de Setembro de 2010 15:08

    Voces devem ter percebido que a Rede Globo e seus seguidores, nos últimos tempos tem perdido espaço… embora, ainda com um grande poder, mas com uma redução significativa…. Outra coisa. Mesmo com todo o aparato Global etc, o candidato Serra, só cai…..

    QUAL SERIA A EXPLICAÇÃO??????

    SÓ DOIS CASOS…..

    1 – Mensalão…. (quando tentaram incutir na cabeça do povo de que a partir da zero hroras do dia 01/01/2003, o PT e o Lula criaram a corrupção no Brasil… cairam do cavalo, pois o tão propalado mensalão… nada mais foi do que PESSOAS DE TODOS os partidos que buscaram dinheiro em bancos (estão lá os nomes, CPFs, endereços e assinaturas de quem sacou o dinheiro), para pagar despesas de campnha e muitos deles não fizeram a devida prestação de contas. Ou seja, fizeram caixa dois, gastando dinheiro em campanhas e não registrando estas despesas no TRE. Este caixa dois (que é irregular) é praticado desde a descoberta do Brasil…… SÓ QUE TENTARAM COLOCAR NA CONTA DO PT E DO LULA TODOS OS CAIXAS DOIS EXISTENTES NOS 500 ANOS DE BRASIL….

    CRIARAM UMA MENTIRA PARA TENTAR DERRUBAR O PREISDENTE LULA E ACABAR COM O PT….

    2 – Vazamento do sigilo da filha do Serra….. A Filha do Serra, junto com a irmã do Daniel Dantas (aquele banqueiro que financia a campanha do PSDB há muitos anos e que foi preso e algemado. “lembra que o DEM e o PSDB ficaram loucos quando a polícia Federal algemou o Dantas”. As duas em 2001, violaram informações de aproximadamente 60 milhões de brasileiros….. Estas coisas já estão se tornando de conhecimento de todos e em bem pouco tempo todo o Brasil estará sabendo. Não pela Globo que esconde e tenta, no sigilo quebrado da filha do Serra e do vice presidente do PSDB, virar a eleição até o dia 03 de outubro…

    http://sindromedeestocolmo.com/archives/2010/09/veronica_serra_expos_dados_bancarios_de_60_milhoes_de_brasileiros.html/

    NA VERDADE A MIDIA BRASILEIRA NUNCA TEVE TANTA LIBERDADE COM ESTÁ TENDO, INCLUSIVE MENTE DIARIAMENTE… E FALA O QUE QEUR SEJA OU NÃO VERDADE….

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: