Skip to content

São Paulo, veja como é bom todo o Brasil crescer!

15 de Setembro de 2010

Fonte: http://www.tijolaco.com/

Aqueles paulistas – minoria – que torcem o nariz para os nordestinos deveriam ler o estudo de uma consultoria publicado hoje no Estadão, mostrando que o crescimento da economia do Nordeste está evitando a migração para São Paulo, em busca de emprego na construção civil.

Das cerca de 333 mil vagas formais criadas entre julho de 2009 e 2010, mais de 114 mil foram geradas no Nordeste, representando mais de um terço do total.

Diz a matéria:

“Os ganhos reais do salário mínimo e o crescimento do Nordeste têm aumentado o dinamismo da economia local, reduzindo o fluxo de trabalhadores para outras regiões, aumentando os investimentos e ampliando a gama de oportunidades”, diz o economista da LCA, Fábio Romão. No Brasil, enquanto o setor ampliou no período em 16,6% as vagas formais, no Nordeste o crescimento atinge 30,5%”

Ontem mesmo, dados revelados pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil registram que o Norte e Nordeste brasileiros continuar aumentando os empregos  na construção civil a taxas muito superiores às do Sudeste, como você pode olhar no gráfico aí ao lado, com dados fresquinhos, de julho.

E os reflexos disso é que já não há, em São Paulo, mão de obra abundante e baratíssima – porque mão de obra, há. ” “Estamos tendo dificuldades para preencher o aumento de 20% a 30% previsto para as vagas do fim do ano”, diz o presidente da Associação Paulista de Supermercados (Apas), João Galassi. Ele relata casos em que supermercadistas estão abrindo mão de contratar trabalhadores com ensino médio e ocupando as vagas com pessoas apenas com o ensino fundamental.”.

Paguem um pouco mais, senhores, que aparece, podem crer.

Esta é a realidade que uma parte da elite, por conta do seus preconceitos, não consegue ver. Não entende que o Brasil excludente, miserável, que arrancava das pessoas de sua terra em busca de trabalho, que destruía suas raízes culturais, suas famílias, sua dignidade é um Brasil cruel com os pobres mas, também, ruim para os que não o são.

Qua a cidade gigante, que os prédios gigantes, avenidas gigantes não podem ser erguidos e abertos por homens obrigados a virar anões e que não são anões, mas seres humanos iguais a você, a mim, a qualquer um.

Não entendem que a prisão, onde colocaram centenas de milhares de brasileiros é uma prisão para ela, também, gradeada, enjaulada, barricada atrás de seus vidros fumê. Que a morte em vida de seus irmãos é a morte de todos.

Que pena, que pena, que o ódio os impeça de ver o óbvio.

PS. Usei como ilustração para o destaque o cartaz do filme “O Homem que Virou Suco”, de João Batista de Andrade. Não achei na web e se alguém puder, indique como assistir. É um grande filme, que relata justamente esta luta do nordestino emigrado pela sua própria identidade.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: