Skip to content

12 mentiras de Serra no Jornal da Globo

1 de Setembro de 2010

Fonte: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/09/embromacoes-e-mentiras-de-serra-no.html

José Serra (PSDB) concedeu entrevista ao Jornal da Globo na noite de terça-feira para quarta-feira, e foi mais um festival de embromação e mentiras, que não convence ninguém.

1ª embromação:
Christiane Pelajo pergunta: "O senhor colocou as esperanças, suas esperanças eleitorais no início da propaganda na TV. Foi quando a vantagem da sua adversária aumentou. O que que deu errado, candidato?"
Serra embroma, e não responde sobre a relação entre o horário eleitoral na TV e a queda nas pesquisas.

1ª mentira:
William Waack pergunta sobre os aliados nos estados não estarem fazendo campanha para ele.
Serra diz que não é permitido candidatos a governador e senador fazerem campanha nacional na TV. É mentira. Sempre foi permitido aparecer escrito o candidato a presidente no fundo da tela na TV. Além disso, o TSE autorizou propaganda dos próprios candidatos a presidente no horário dos candidatos a governador e senador.

2ª embromação:
Christiane Pelajo pergunta pela falta de campanha de oposição, e por usar a imagem do presidente Lula.
Serra enrola, enrola, ataca o PT quando estava na oposição, ataca Dilma, mas se atrapalha e se confunde todo, para ficar em cima do muro, sem ter coragem de opor-se à Lula.

2ª mentira:
William Waack pergunta se o mensalão do DEM atrapalhou a campanha de Serra. (Waack aliviou, pois não citou o nome de Arruda, nem o episódio do "vote em um careca e leve dois").
Serra muda de assunto para explorar politicamente o sigilo fiscal da filha.
Diz que "blogs sujos" (referindo-se a nós e outros), já estavam publicando dados sigilosos do imposto de renda, no ano passado. É mentira.
Não vi em nenhum blog nenhuma informação sigilosa sobre sigilo fiscal de nenhum tucano, nem da filha de Serra.
As informações sobre a filha de Serra publicadas aqui e em outros blogs, foram sobre informações de domínio público, algumas já conhecidas desde 2002:
– a sociedade com a irmã do banqueiro Daniel Dantas, presa na Operação Satiagraha, uma informação documentada e pública do governo da Flórida (EUA);
– sobre ela constar nas páginas da revista Forbes (pública), sendo sócia da empresa Mercado Livre (O Serra que reclama da revista estadunidense, se não gostou);
– teve bolsa de estudos na caríssima Universidade de Havard custeada pelos donos da cervejaria AMBEV, quando Serra era ministro de FHC;
– é citada em denúncia pública do Ministério Público Federal, como ex-sócia de Serra, e dona da mansão onde Serra reside. Essa denúncia foi publicada até em sites simpáticos aos demo-tucanos como o Conjur;
Essas informações acima nada tem a ver com a campanha de Dilma. Não são baixarias e nem dossiês. Tem a ver com mistura do público com o privado.
Serra é cínico ao criticar quem "utiliza filho dos outros para ganhar eleição", porque ele e os deputados e senadores demo-tucanos, além da imprensa serrista, sempre atacaram os filhos, filha, esposa e irmãos de Lula.
Além disso, ele próprio está usando a própria filha para produzir uma calúnia contra Dilma, para tirar proveito eleitoral.
Serra mente ao querer comparar com o caso Miriam Cordeiro nas eleições de 1989. Naquele caso, Miriam Cordeiro foi paga pela ampanha de Collor para falar mal de Lula.
Agora, são os tucanos e a imprensa quem estão vazando e divulgando informações, e é Serra quem está fazendo este papel de Miriam Cordeiro para falar mal de Dilma.
Por fim, a Receita Federal informou que, no caso da filha de Serra, a 2a. via das declarações foi solicitada por procuração assinada por ela, com firma reconhecida.
Que a Polícia Federal desmascare cada um que está por trás dessa armação de pegar procuração para ir tirar 2a. via no ABC paulista, querendo fazer uma encenação como se fosse um complô justamente na região onde reside o presidente Lula.

3ª mentira e 3ª embromação:
Christiane Pelajo pede para responder sobre o mensalão do DEM, pois ele havia desviado do assunto.
Serra embroma ao atacar ao PT, e faz uma apaixonada defesa do DEMos, como se o partido fosse de uma pureza virginal, porque Arruda desfiliou-se. No entanto fica no ar a mentira do argumento, porque o PSDB não expulsou o senador Eduardo Azeredo (PSDB/MG), o pai do mensalão tucano, que é candidato a deputado federal nestas eleições.
Além disso o deputado distrital Geraldo Naves do DEMos, preso junto com Arruda, continua candidato tentando a reeleição. Além disso, Serra fechou aliança com Roberto Jefferson (PTB).

4ª mentira
William Waack pergunta se o PSDB hoje tem vergonha das privatizações.
Serra diz que não tem mais privatizações no horizonte. Mentiu. Como governador de São Paulo, ele tentou privatizar a CESP. Não conseguiu porque as concessões das hidrelétricas voltam a à união em 2015. Serra criticou o governo federal por não ter antecipado essa renovação, de forma que ele pudesse ter privatizado a CESP. Por coerência, é de se acreditar, que se ele vencesse, anteciparia essa renovação da concessão, e caso Alckmin vencesse em São Paulo, finalmente privatizaria. E pela mesma lógica, se ele foi a favor de privatizar a CESP, o que fará com a ELETROBRAS, FURNAS, CHESF?
Além disso, ele vendeu a Nossa Caixa, quando era governador. Felizmente foi o Banco do Brasil quem comprou.
Por fim, além do passado privatista o condenar, Serra vive criticando o estatismo do governo Lula e de Dilma.

5ª mentira
Christiane Pelajo pergunta sobre ele criticar o câmbio por um lado, e dizer que não vai mexer no câmbio flutuante e livre, por outro. Serra embroma e critica os juros. Mas mentiu, porque os juros no governo Lula são muito inferiores aos juros na era FHC, onde Serra foi ministro do planejamento e homem forte.

6ª mentira
William Waack questiona a falta de um programa de governo, pois foi registrado no TSE, textos de discursos genéricos.
Serra embroma muito para dizer que a essência do que quer para o Brasil está nos discursos, e o programa vai sendo feito ao longo da campanha. É mentira. O discurso não passa nem perto de um programa de governo. Não contém objetivos, metas, comprometimento, nem dá segurança do que não vai fazer. A candidatura de Serra é uma caixa-preta, votar nele é dar um cheque em branco, para fazer tudo de ruim que foi feito no governo FHC.

7ª mentira
Serra disse ser "economista". É mentira. Economista é um título privativo para Bacharéis em Ciências Econômicas, curso que Serra não fez e nunca apresentou diploma.

8ª mentira
Serra disse que "nenhum país em desenvolvimento cobra tanto imposto quanto o Brasil". Tem um boa dose de mentira na afirmação.
Outros países em desenvolvimento não tem o grau de democracia brasileira, não tem a estrutura onerosa do judiciário para resolver conflitos e de legislativo. Alguns mal tem previdência social e não tem um sistema de saúde universalizado como o SUS. Outros não tem direitos trabalhistas. Não tem leis ambientais rigorosas. Outros não implementaram ainda políticas de distribuição de renda.
Além disso, quem aumentou brutalmente a carga tributária, foi o governo FHC/Serra. No governo Lula manteve-se estável, com desoneração de alíquotas pontuais, e diminuição da sonegação.

9ª mentira
Christiane Pelajo pergunta sobre as acusações aos governo de países vizinhos de cumplicidade com o tráfico.
Serra diz que a solução é pressionar os outros países. É mentira. Todos estes países já vivem sob pressão. Bolívia e Paraguai cooperam com a Polícia Federal brasileira. São países pobres que também são invadidos por organizações criminosas brasileiras, como o PCC. Serra, como governador de São Paulo, não teve competência para pressionar o PCC, não tem competência para pressionar nada, nem ninguém.

10ª mentira
Serra disse que irá controlar as fronteiras. Ele não conseguiu controlar nem as fronteiras dos muros dos presídios de São Paulo, quanto mais as gigantescas fronteiras brasileiras. A Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, as Forças Armadas, tem ações e projetos em curso (inclusive de com aviões de vigilância não tripulados), que cada vez mais tem apreendido mais drogas, armas e contrabando.

11ª mentira
Willian Waack pergunta porque ele tentou, acabar com a Cracolândia de São Paulo, como prefeito e governador, e falhou.
Serra diz que melhorou. É mentira. A cracolância se espalhou por vários pontos da cidade de São Paulo, para o interior e para o Brasil, a partir de São Paulo e da ação do PCC.
Serra se enrola e diz que, pela lei não pode prender um drogado, e que a solução é só vigiando as fronteiras. É mentira. Pode ter políticas para tratar quem queira sair da droga. A polícia civil poderia rastrear por uns meses o fluxo de como chega a droga na cracolândia, prender quem distribui, e rastrear a origem, se ele, quando governador, tivesse determinação.

12ª mentira
Serra disse que tem que fazer campanha educacional na nossa juventude, em todas as escolas. É obvio que tem, mas o que ele fez quando foi governador? Nada. Em vez disso, gastou fortunas com propaganda da SABESP e do Rodoanel do Oiapoque ao Chuí, com a inócua lei anti-fumo. É muita incompetência reunida em um só político.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: