Skip to content

Serra e o preconceito contra as mulheres

2 de Julho de 2010

Como diz Paulo Henrique Amorim o Serra não gosta de mulher

E podemos ter certeza que cada vez mais o candidato mostra seu lado preconceituoso contra as mulheres e seus direitos.

O que diz Serra em relação ao aborto:

No dia 21 de junho, durante sabatina do Jornal Folha de São Paulo, Serra disse que não mexeria na atual legislação sobre o aborto. Para ele "liberar o aborto criaria uma verdadeira carnificina no país."

Isso mostra o quanto o candidato se preocupa  com a saúde das mulheres e várias centrais sindicais se manifestaram a respeito:

É lamentável que um candidato a presidência da República tenha essa postura. Ao fazer essa declaração, ele fecha os olhos para milhares de mulheres que recorrem ao aborto como o último recurso para evitar uma gravidez indesejada e não como um método anticoncepcional.

Não há mulher ou homem que defenda o direito ao aborto, que considere a interrupção da gravidez uma decisão fácil, pelo contrário, é uma decisão difícil para a imensa maioria das mulheres que precisam recorrer a ele, podendo gerar conseqüências tanto físicas quanto psicológicas.

O reconhecimento do direito das mulheres em decidir sobre sua sexualidade e reprodução é o princípio dos direitos humanos e da cidadania que substancia os direitos sexuais e os direitos reprodutivos.

Serra parece desconhecer os números apresentados pelos países onde o aborto foi legalizado e é realizado em condições seguras e adequadas. Nesses locais houve redução do número de abortos, da mortalidade materna e das seqüelas provocadas pelos abortos realizados em péssimas condições. Só para se ter uma idéia, enquanto a taxa de aborto por 1.000 mulheres é de 4/1.000 em países como a Holanda, no Brasil a estatística é 10 vezes maior: 40/1.000. E na África do Sul, país que legalizou o aborto em 1997, a mortalidade materna caiu mais de 90% desde então.

Surpreende que um ex-ministro da Saúde faça uma declaração tão irresponsável como essa. Ele conhece os números do Sistema Único de Saúde. Quando Ministro da Saúde, José Serra foi pressionado a aprovar a norma técnica que assegura o acesso ao aborto legal no SUS. Ele sabe muito bem a quantidade de mulheres atendidas com hemorragia ao tentar fazer abortos em condições precárias. Sabe que a carnificina que ocorre é aquela patrocinada pela hipocrisia, pelos conservadores, moralistas, que fecham os olhos à realidade vivida por milhares de mulheres, que a cada dia, colocam suas vidas e sua saúde em risco, especialmente as pobres.

Ao utilizar o termo carnificina Serra propaga o caos e a desordem, o pânico.

Por isso, nós Centrais Sindicais, abaixo assinadas reiteramos nosso repúdio às palavras de José Serra e reforçamos o compromisso que assumimos na Assembléia Nacional da Classe Trabalhadora realizada no dia 1º de junho de 2010, onde as centrais assumiram a luta pela descriminalização do aborto e seu tratamento enquanto questão de saúde pública.

Não podemos aceitar que o Estado controle o corpo das mulheres e imponha a maternidade como um destino obrigatório a todas as mulheres.

Central Única dos Trabalhadores

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

Força Sindical

União Geral dos Trabalhadores

Serra e as amantes:

Li na Folha que ao contar conversa com Índio da Costa que teve por telefone – provavelmente para se apresentarem -, Serra ouviu do seu inacreditável candidato à vice que ele tinha uma namorada mas não tinha amantes.

O detalhe desnecessário poderia ter morrido na conversa entre os dois, mas Serra fez questão de contá-lo e ainda revelou a sugestão que deu ao jovem Índio, provavelmente do alto de sua experiência: “Eu até disse, também não precisa exagerar. O que tem que ser é uma coisa discreta.”

E ainda reforçou: “Não estou aqui pregando pular cerca no casamento, mas também não precisa exagerar.”

Nenhuma palavra sobre uma troca de impressões políticas, mas a revelação de um pensamento conservador em relação às mulheres. Serra parece ainda ver a mulher no século 19, restrita às tarefas do lar e se fazendo de cega ao machismo do marido. Parece não compreender que a mulher já se libertou há muito tempo, trabalha em igualdade de condições com o homem e assume uma relação de igualdade com seus parceiros.

Serra e a Produção indenpendente da Xuxa
Ao fazer um comentário impróprio no passado, levou uma descompostura de Xuxa, que posto em vídeo acima para os que não viram.

 

Serra canta jornalista enquanto São Paulo enfrente as enchentes! O que será que ele disse em casa?!

O que deve incomodá-lo é que uma mulher está prestes a assumir um cargo que ele jamais ocupou e que com a derrota que se avizinha em outubro, jamais ocupará.

Com fontes de Conversa Afiada e Tijolaço

4 comentários leave one →
  1. Lanna permalink
    11 de Julho de 2010 14:13

    ABORTO. realmente é um tema poemico porem quem o defende diz que a mulher tem o direito de decidi sobre o seu corpo, pergunto e Quantoao bebe^? ele não pediu para esta ali.
    Acredito que não podemos desfazer um erro impultando a pena de morte a outro.

    SOU MULHER, mas SOU CONTRA O ABORTO.

    TEMOS QUE PENSAR ANTES

  2. Karoline permalink
    13 de Setembro de 2010 21:54

    Sou mulher e abomino a idéia do aborto. É de extrema importância que toda mulher tenha a responsabilidade de arcar com os seus atos, se existe prevenção, e grátis em qualquer serviço hospitalar, não tem nenhum motivo para liberar o assassinato no Brasil. Ao contrário do que diz esse texto, o Estado não está impondo a maternidade, hoje, com excessão dos casos já previstos em lei onde o aborto já é liberado (estupro, por exemplo), a mulher engravida se quiser. O que o Estado protege é a vida de um ser humano que não pediu para ser formado e não pode simplesmente ser “tirado” como um carrapato parasita. MULHERES, TER LIBERDADE TRAZ RESPONSABILIDADE, CUIDEM DO SEUS CORPOS SEM TER QUE ACABAR COM O CORPO DE UM INOCENTE!! NÃO À CARNIFICINA!!!!

  3. Nani permalink
    6 de Outubro de 2010 23:21

    “Não podemos aceitar que o Estado controle o corpo das mulheres e imponha a maternidade como um destino obrigatório a todas as mulheres. ”

    Essa é a concepção de ser “a favor da vida” que a Dilma agora passou a defender? A vida da mulher, que irresponsavelmente engravida (não obstante o inúmeros métodos anticonceptivos que existem) deve ser defendida e a de um ser completamente indefeso e inocente não?

    E no desespero de perder a mamata que a quadrilha de vcs formou nesses oito anos ainda acusa o outro candidato? É muita cara de pau.

    Sou contra qualquer forma de interrupção da vida. Sou contra o cerceamento da liberdade de imprensa. Sou contra a perpetuação no poder. Sou contra a corrupção. Sou contra o enamoramento com regimes totalitários. Sou contra governantes populistas e cachaceiros! E vou lutar até o fim para banir essa corja suja, fétida e amoral que tomou de assalto o nosso país!

  4. Nj3rb4d3n permalink
    26 de Outubro de 2010 11:10

    Aborto é assassinato. Isso é fato! Porém, chamar o PT de “orja suja, fétida e amoral” é no mínimo ironia ou cegueira quanto ao passado. Quer algo mais amoral do que vender o país? Quer algo mais amoral que privatizar as melhores instituições públicas? Quer algo mais sujo do que colaborar para que nosso povo viva na miséria?

    Eu sou totalmente contra o aborto, porém apoio o PT, pois sei que questões polêmicas como essa, ainda não foram resolvidas e considerando o programa do PT (e agora da Dilma) para o nosso país, tenho motivos de sobra para apoiar.

    Chamar de cerceamento de liberdade de imprensa um maior controle sobre uma imprensa partidária suja e golpista é errado. A grande mídia no nosso país manipula a informação. Não faz jornalismo. Não faz o papel de informar de maneira NEUTRA a população. O que ela faz é selecionar e manipular os dados, de forma que fique como propaganda partidária. Exemplo recente: Serra e o bolinha de papel! Esse tipo de mídia é nociva ao país e tem sim que ser controlada.

    Sobre perpetuação no poder: espero de certas pessoas aqui o mesmo empenho em tirar o PSDB do governo de São Paulo: faz 15 anos que eles estão lá! Pra mim, se um governo é bom, ele tem que permanecer!

    Contra a corrupção todos nós somos. Especialmente aquela da pasta rosa. Aquela das ‘mutretas’ para a reeleição de certo ex-presidente. Aquela com os bilhões de reais das privatizações que ‘milagrosamente’ sumirão dos cofres públicos. Aquela que desviou recursos das obras do pan americano. A ironia é que quando se fala em corrupção, todo mundo pensa nos milhões do mensalão, mas esquece os bilhões das privatizações.

    Regimes totalitários: Venezuela, Irã, Bolívia?

    O governo da Venezuela é visto como bom pelo seu povo e considerando a melhora nos índices educacionais e sociais de lá (em comparação com os governos anteriores, a diferença é absurda), acredito que o governo de Chaves não seja tão ruim assim. Além do mais, quem fala mal do governo de Chaves são os EUA: isso mesmo, aquela nação podre e sem vergonha, que espalhou o consumo de drogas pelo mundo (sexo, drogas e rock’n roll – lembram?); financiou governos (de fato) autoritaristas como a ditadura brasileira; vendeu armas de destruição em massa ao Iraque (armas químicas, com gás Sarin) para a guerra com o Irã na década de 80 e depois tirou o dela da reta quando as mesmas armas foram usadas para massacrar curdos; que tentou nos enfiar goela abaixo a ALCA; que escraviza a África; etc, etc, etc. Enfim, uma fonte NADA confiável.

    Para o Irã. Eles tem a lei religiosa deles. Eu não concordo, mas é a fé deles e isso eu tenho que respeitar. Porém, o programa nuclear iraniano, como o próprio irã diz, é voltado a fins pacíficos. Quem não acredita são exatamente aqueles países que tem arsenais nucleares e não se livram deles, ao invés disso, exigem que outras nações não tenham. Ora, se o Irã está no ‘eixo do mal’ e seria inimigo dos EUA e os EUA tem armas nucleares (e não se livram delas, diga-se de passagem), a balança militar estaria desequilibrada se o Irã estivesse sem armas nucleares. Interessante esse fato! Mais interessante ainda é ‘nós’ exigirmos que o Irã não tenho o direito de equilibrar tal balança. Uma coisa é fato: os EUA já usaram armas nucleares em guerras antes. Nenhum outro país, fez a mesma coisa, então, quem tem que provar dignidade aqui sobre tal assunto não é o Irã.

    E a Bolívia. A tão sofrida Bolívia, que por durante séculos teve seu rico subsolo explorado, enquanto seu povo morria de fome e vivia na miséria. Mas aí veio o tal Evo “Índio” Morales e resolveu acabar com essa palhaçada. E eles está certo! Os recursos da Bolívia devem ser usados para melhorar a vida do povo boliviano em primeiro lugar e depois, se sobrar, melhora a vida dos outros. Mas, para alguns, isso é errado.

    O que mais me chama atenção nesses regimes ‘totalitaristas’ é que eles todos melhoraram a vida de seu povo, que antes passava fome, vivia na miséria. Talvez, para certas pessoas, um bom regime seja aquele que deixe seu povo morrer. Lamentável!

    E finalmente, o populismo. Muito gente fala mal do populismo. Porém se esquecem que os melhores governantes que o Brasil já teve, foram populistas: Vargas, JK, Lula (Goulart seria, se tivesse tido tempo para governar). Os demais governos só souberam DESTRUIR o país. ESCRAVIZAR nosso povo. ENTREGAR nossa riquezas aos estrangeiros. Vamos fazer um tour pela história:

    A primeira república, ou república do café com leite, foi instável. Uma desgraça. O povo era explorado e passava fome. Ai veio Vargas e com ele, o Estado Novo (a parte não legal disso tudo) e a CLT (coisa que os PSDBestas e os DEMoníacos ainda tentam derrubar até hoje). A coisa melhorou para o povo. Depois disso, tivemos presidentes burros, que acabaram com os lucros de guerra até vir Vargas novamente e aí tivemos a Petrobrás (atualmente, uma das empresas mais valorizadas do mundo). Passado mais um tempo (pra encurtar a história), tivemos JK e a construção de Brasília. Depois disso, ditadura: Atos institucionais, perseguição, tortura, morte, desemprego, desestruturação da economia. Depois, nova república e aí, até 2002, uma sucessão de governos, um mais estúpido que o outro: acabaram com o monópolio da petrobrás sobre a extração de petróleo no Brasil (e agora o Serra faz propaganda colocando na Dilma, a culpa disso, sendo que na verdade é culpa é do governo FHC), privatizaram as melhores companias públicas, reduziram (pra não dizer, cancelaram) os investimentos em infra estrutura, saúde e educação, tivemos apagão, desemprego, aumento da fome e miséria do povo. Tudo isso, feito por governos não populistas. Até que enfim, veio em 2002 o Lula, e com seu ‘populismo’, o Brasil voltou a crescer: o desemprego reduziu, a economia cresceu, a petrobrás valorizou, o país pagou a maldita dívida externa e passou a ser credor internacional, os investimentos em educação, saúde e infra estrutura foram retomados.

    Tudo isso num governo ‘populista cachaceiro’. E olha que ainda tem gente que acha isso ruim. Mas eu até conheço esse tipo: aquele que só pensa em si. Aquele que ganha com a destruição e pobreza do próximo. Aquele que deseja sugar ao máximo o nosso povo e o nosso país. Aquele que não é brasileiro e traí a nossa nação de todas as formas que pode (mesmo que tenha nascido aqui). Aquele que obteve bens através de trapaça, exploração e morte. É, esse tipo de gente. Uma corja suja, fétida, amoral e desumana que ousa ficar em nosso país. Contra eles, é a minha luta e acredito que também seja a luta do PT e da Dilma.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: