Skip to content

Força Pública: Zé Alagão trata os alagados de SP na porrada

9 de Fevereiro de 2010

Agora entendemos porque mudar o nome da polícia militar para força pública!

Moradores de áreas alagadas entraram em confronto com PM.
Policiais usaram spray de pimenta e cassetetes para conter o protesto.

Emílio Sant’Anna Do G1, em São Paulo

Foto: Emílio Sant´Anna/G1

Protesto termina em confusão no Centro. Vereador Zelão (PT), de camisa verde, recebeu jato do spray de pimenta no rosto e teve que receber atendimento médico (Foto: Emílio Sant´Anna/G1)

Um protesto envolvendo cerca de 200 moradores de bairros alagados da Zona Leste de São Paulo terminou em confusão em frente à sede da Prefeitura, no Centro, na tarde desta segunda-feira (8). Policiais militares usaram spray de pimenta e cassetetes para conter o protesto.

A manifestação começou por volta das 14h, quando o grupo chegou em frente à sede da administração municipal. Revoltados com a situação em que se encontram os bairros do Jardim Pantanal e do Jardim Romano, os moradores pretendiam ser recebidos pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM). A assessoria da Prefeitura, porém, negou o encontro e afirmou que uma comissão receberia representantes do grupo.

Policiais usam spray de pimenta em manifestantes. (Foto: Nelson Antoine/AE)

De acordo com o assessor do gabinete da Prefeitura, Roberto Tamishiro, os moradores só seriam atendidos caso a manifestação fosse pacífica. Em seguida, soldados da Polícia Militar formaram um cordão de isolamento para afastar os manifestantes.

Houve desentendimento e os policiais usaram sprays de pimenta e deram golpes de cassetete nos manifestantes. Nesse instante, algumas lideranças do movimento foram atingidas e as pessoas começaram a se dispersar.
Segundo o major Marcos Rangel Torres, da PM, o uso do gás de pimenta e os casos de violência serão investigados. “Houve um acirramento da tensão e nesse momento foi necessário dispersar os manifestantes”, afirmou.

“É mais fácil saírmos da Zona Leste do que o prefeito descer para falar com a gente?”, questionou Jackson Camilo, morador do Jardim Pantanal. Segundo ele, as únicas medidas imediatas tomadas foram a retirada de entulhos das ruas e o decreto de calamidade pública.

“O que nós queremos é saber como vai ficar a situação dos moradores da área legalizada”, disse. “A enchente não atingiu apenas os moradores da várzea do Tietê”.

A estimativa da organização do protesto é que mais 200 manifestantes cheguem ainda durante a tarde. Procurada, a assessoria de imprensa da PM informou que houve um princípio de tumulto, mas que a situação já havia se normalizado às 15h.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: